A equipe da Imagem da Vida esteve nas regiõe de Obuasi e Elmina, em Gana

gana4

Entre os meses de novembro e dezembro, a coordenadora do projeto Olhares Cruzados Dirce Carrion juntou-se aos fotógrafos Nilton Pereira e Ricardo Teles – que já participaram de outras edições do trabalho – para promover as oficinas de fotografia, entrevista e arte com jovens oriundos da região de Obuasi, onde por muito tempo reinou o antigo Império Axanti, em Gana.

OLHARES CRUZADOS – BRASIL/GHANA

gana8

A 13a edição de Olhares Cruzados tem como objetivo retomar um elo histórico entre duas regiões marcadas pela exploração aurífera e, principalmente, humana. De um lado do atlântico a cidade de Obuasi, onde viveram muitos africanos das etnias axanti, fanti e txis, e que durante os séculos XVIII e XIX foram escravizados e trazidos ao Brasil para trabalhar na extração do ouro de aluvião – atividade no qual já estavam familiarizados – introduzindo assim, ferramentas que foram fundamentais para uma maior eficiência por meio de uma técnica de exploração que até então inexistia no Brasil. Do outro, a região de Sabará, em Minas Gerais, que a partir do fim do século XVII foi povoada por um arraial de bandeirantes que descobriram ouro nesse que se tornou um dos principais pólos de extração aurífera do estado, e que mais tarde viria a receber africanos que mudariam radicalmente essa técnica, contribuindo consideravelmente à economia brasileira na época.

Dessa forma, crianças e adolescentes que vivem nessas regiões situadas próximas as áreas de mineração seculares terão a oportunidade de estudar os aspectos históricos que marcaram a trajetória de seu povo, resgatando aspectos culturais que estiveram presentes em suas famílias e analisando até mesmo as marcas de uma arquitetura que remete a esse passado de exploração.

OFICINAS EM OBUASI

gana5

As oficinas foram realizadas com crianças de cinco escolas de diferentes comunidades espalhadas pela região. Entre esses jovens, muitos filhos de mineiro que viram no projeto uma oportunidade para descobrir mais sobre as próprias raízes, sendo a exploração do ouro o principal tema abordado durante a realização do projeto.

gana1

Divididos em grupos, as crianças e adolescentes envolvidas entrevistaram as principais lideranças dessas comunidades, bem como realizaram oficinas de fotografia e desenho para assim mostrarem um pouco da própria realidade para os outros personagens que também escreverão sobre a própria história.

Após retornar da África, a coordenadora do projeto, Dirce Carrion, falou sobre a realização desse trabalho em Gana:

“Essa muito provavelmente tenha sido a oficina mais produtiva já feita nos mais de 14 países que já visitamos nesses 10 anos de projeto. A tradução costuma dificultar bastante na comunicação com as crianças pois quebra a continuidade das pautas abordadas, mas não nessas oficinas de Obuasi. A Abigail mora em Gana já há alguns anos e nos ajudou bastante nesse sentido, atuando como tradutora voluntária”.

gana2

 

“Toda a equipe ficou muito contente e motivada ao perceber o envolvimento e o interesse dos jovens em saber mais sobre a própria história. Saímos de lá felizes por ter contribuído de alguma forma na vida dessas pessoas, e bastante satisfeitos com o material desenvolvido nas oficinas. O produto final com certeza vai ficar de arrasar!”, finalizou ela.

O próximo destino da equipe da Imagem da Vida é a cidade de Sabará, com o início das oficinas previstas para o primeiro semestre de 2016.

 

Sem Comentários

Você pode ser o primeiro a comentar.

Deixe um Comentãrio

Please enter your name. Please enter an valid email address. Please enter a message.

Que tal nos visitar no Facebook? :)

Facebook